sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Augsburg, Alemanha

Perto de Munique, na cidade de Augsburg, a Fujistu Siemens (FS) recebe anualmente jornalistas num evento deseignado October Fest. É uma montra tecnológica que a empresa nipónico-alemã apresenta nas suas instalações para revelar a estratégia e os novos produtos.
Sabeis já que é difícil para mim falar sobre estadias na Alemanha... Augsburg é uma cidade muito bonita. Ainda se vêem os buracos das balas aliadas em alguns edifícios - ficaram lá desde 1945, quando a cidade foi conquistada aos hunos.
Fora isso, pouco mais há a dizer. Foi uma viagem de três dias em que não consegui ver devidamente este poiso na Baviera. Foi interessante ver as salas de teste da FS, mas os motivos de interesse ficaram-se quase somente por aí...

Detalhes da Viagem (de 0 a 5)
Ausgsburg, Alemanha
Tempo de viagem - 4
Comida - 2
Estadia - 3
Clima - 2
Interacção com nativos - 2
Geral - 2,6

sábado, 24 de novembro de 2007

Afonso, o pequeno Gil

O ar de contente não é por acaso. A Susana tem nos braços o Afonso, a mais recente contratação da família sportinguista portuguesa. O irmão do Henrique "Fera" porta-se muito bem e adora estar ao colo dos padrinhos. É muito parecido com a mãe e dá-se às mil maravilhas com o mano - que o adora, de resto. Não poderia faltar aqui um registo para a história de dois tios babados. Mal posso esperar que ele leia isto daqui a 20 anos. Quando for médio-ala direito em Alvalade.

Cannes, França

Muita gente me pergunta se as viagens são apenas entediantes, cansativas ou repetitivas. Estaria a fugir à verade se dissesse que, de ora em vez, não temos algum tempo livre. Aliás, há uns anos, fui com a Epson a Cannes e tive, em abono da verdade, algum tempo para dar um salto à praia privativa do Carlton e para molhar os pés no Mediterrânico. Foi em Junho, pelo que deu para tirar proveito do tempo livre de que dispunha.
O trabalho fez-se na mesma, mas tanto eu como os meus colegas conseguimos equilibrar a actividade profissional com algum tempo lúdico.
A cidade em si não tem nada para ver. Os únicos apelos históricos nada têm que ver com a verdadeira História... «ah, este casino foi aberto em 1978 e este Hotel em 1960, e coiso...». upi-doo! Fascinante. Mas pode dizer-me onde é a praia? é que quero apanhar algum sol enquanto como o hamburguer que me custou 21 euros...
Uma vez que me queixo muitas vezes da falta de tempo livre, seria injusto se não citasse aqui esta viagem que marca um exemplo infelizmente tão poucas vezes seguido...


Detalhes da Viagem (de 0 a 5)
Cannes, França
Tempo de viagem - 4
Comida - 4
Estadia - 5 (Hotel fabuloso e em frente à praia)
Clima - 5
Interacção com nativos - 3 (não dava para valar com eles, pq não abriam os vidros dos Ferraris e dos R.Royce...)
Geral - 4,2

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

Monte Carlo, Mónaco

Já foi há algum tempo, mas não cheguei a escrever sobre a viagem que fiz com os responsáveis da HP ao Mónaco para ver as plataformas desktop especialmente concebidas para elevadas necessidades de processamento. Pude andar de helicóptero (aterrei em Nice e fui de Nice para o Mónaco junto à costa) e tive a hipótese de entrar em contacto com o nível de riqueza e de opulência com o qual apenas podemos sonhar. Os carros e as casas são apenas a ponta do icebergue...
Fiquei num hotel muito perto do Hotel de Paris - a sede das forças de ocupação alemãs na cidade, durante a Segunda Guerra Mundial-, o que foi o elemento de maior interesse histórico que vi. A curva do circuito de F1 tem interesse na primeira vez, mas não mais que isso...

Detalhes da Viagem (de 0 a 5)
Monte Carlo, Mónaco
Tempo de viagem - 4
Comida - 4
Estadia - 4
Clima - 3
Interacção com nativos - 2 (é absurdo dar gorjetas a gente que ganha três vezes o meu ordenado)
Geral - 3,4

Ainda Varsóvia...

video

para não dizerem que exagerei... reparem nas paredes a cairem e nos buracos...

sábado, 17 de novembro de 2007

Varsóvia, Polónia

Estive em Varsóvia com a AMD para ver o fruto do trabalho da empresa nos últimos meses - a plataforma Spider. A imagem diz tudo: no pouco tempo que tive livre, pude dar uma volta ao pé do Hotel Hilton, que fica, com sorte minha, perto do centro da cidade. Esteve muito frio - entre -4 e 0 graus quase sempre - e mesmo devidamente "equipado", não pude deixar de sentir algumas sensações desagradáveis, especialmente quando o vento levantava...
A cidade não é bonita, ao contrário - dizem-me - de Cracóvia. Além disso, a AMD teve a infeliz ideia de nos levar para uma discoteca revivalista de dance music - uma ideia que, como seria de esperar, não resultou. Por duas razões. Primeio, porque fui para a discoteca com 79 geeks e sem mulheres. Depois, porque a discoteca era num armazém abandonado que mal tinha sido restaurado. Na verdade, as paredes ainda perdiam betão e os buracos das chaminés estavam tapados com placas de cortiça. Ao menos, em Lisboa, nós recuperamos os armazéns antes de os transformar em discos, certo? Além disso, como comemos lá, tivemos de o fazer de pé. Qualquer pessoa pode imaginar o desafio de tentar cortar carte num prato minúsculo enquanto tem de segurar nele, em ambos os talheres e no copo de cerveja (já agora, a cerveja portuguesa é melhor). Com sorte, arranjava-se um sofá para pousar as coisas. Geralmente, o copo tinha de ser colocado no chão. Muitas vezes, o conteúdo do prato ia, sem que o seu dono o quisesse, fazer-lhe companhia. Há coisas que não fazem sentido. Claro que, depois do jantar, apanhei um taxi para o Hotel e fui ver a versão americana do The Office para o quarto. E ainda bem.


Detalhes de viagem (de 0a 5)
Varsóvia, Polónia
Tempo de viagem - 5 (escala em Madrid, o que é óptimo - perde-se pouco tempo)
Comida - 3 (nada mau. Para quem está ao lado da Alemanha...)
Estadia - 4 (Hilton diz tudo. Pouco tempo livre, porém)
Clima - 2 (muito frio, mas ao menos podia ter nevado)
Interacção com nativos - 4 (gente simpática, polacas são girasssssssssss....)
Geral - 3,6

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Amesterdão, Holanda

A viagem à cidade do Red Light District não permitiu grandes visitas, mas depois da apresentação das motherboards da Chaintech ainda houve tempo para ver os canais holandeses e para saborear uma refeição no Hard Rock Café da capital da terra dos moinhos de vento.
A cidade é muito bonita e muito embora não queira cair no comentário banal e repetitivo, a verdade é que o Red Light não deixa ninguém indiferente. É realmente um mercado de sexo, onde a estranheza de ver tanta "oferta" (e tão variada) contrasta apenas com a verificação de que, pelo menos, existem cuidados de saúde e de higiene que garantem mínimas condições para quem vende e para quem compra.
As Cofee Shops são sobrevalorizadas e foram uma desilusão. Se possível, uma cidade a visitar em turismo, quando se puderem reunir condições para ver mais do que simplesmente mulheres nuas e motherboards.


Detalhes da viagem (de 0 a 5)
Amesterdão, Holanda
Tempo de viagem - 4 (directo)
Comida - 2 (a comida holandesa é quase tão má quanto a alemã)
Estadia - 4
Clima - 3 (quase sempre cinzento)
Interacção com nativos - 2
Geral - 3,2

Salzburgo, Austria

Vale a pena recordar a viagem a essa cidade tão bonita, onde pude ver o lançamento das Mju, da Olympus. A paisagem é o que melhor fica na memória. Montes pintados de branco faziam sombras fugidias num lago gelado que me servia de primeiro quadro, ao acordar.
Pude andar de balão de ar quente e exprimentar arco e flecha e outros desportos do género, mas a temperatura de -4 graus fez estragos nos meus pés. Se, por um lado, o casaco que o fabricante gentilmente nos cedeu serviu para aquecer (e bem) o corpo, por outro as meias que levei de Lisboa revelaram-se claramente insuficientes para as exigências do tempo austríaco e particularmente da neve de Salzburgo.

Detalhes da viagem (de 0 a 5)
Salzburgo, Áustria
Tempo de viagem - 4
Comida - 3
Estadia - 4
Clima - 3
Interacção com nativos - 3
Geral - 3,4